Pronome “se” para indicar involuntariedade em espanhol

A música pode ser um instrumento bem útil no aprendizado de um idioma. Em minhas aulas procuro fazer um bom uso deste recurso, não limitando apenas a traduções, mas buscando vários elementos linguísticos que podem enriquecer o vocabulário, ajudar a fixar melhor um conceito de gramática e ajudar a pensar como um ‘hispanohablante’. Hoje, vamos considerar o uso do pronome ‘se’ como indicador de involuntariedade, para isso vamos usar uma música do Maná:

Se Me Olvidó Otra Vez
Maná
Composição: Juan Gabriel

Probablemente ya de mí te has olvidado
y sin embargo yo te seguiré esperando.
No me he querido ir para ver si algún día
que tú quieras volver me encuentres todavía.

Por eso aún estoy en el lugar de siempre
en la misma ciudad y con la misma gente.
Para que tú al volver no encuentres nada extraño
y sea como ayer y nunca más dejarnos.

Probablemente estoy pidiendo demasiado
se me olvidaba que ya habíamos terminado.
Que nunca volverás, que nunca me quisiste
se me olvidó otra vez que sólo yo te quise.

Percebemos que o compositor usou estruturas diferentes para o verbo ‘olvidar’, que em português seriam traduzidas com uma mesma estrutura:

  • Probablemente ya de mí te has olvidado = Provavelmente, você já se esqueceu de mim
  • se me olvidaba que ya habíamos terminado = eu me esquecia / estava me esquecendo de que já tínhamos terminado
  • se me olvidó otra vez que sólo yo te quise = Me esqueci outra vez que só eu te amei.

Por que então a diferença na estrutura em espanhol?

Por que no caso de ‘se me olvidó’ o sujeito passa a ser o objeto na oração, ou seja, o autor dá a entender que não foi ele quem se esqueceu, e sim o esquecimento que se apoderou dele sem que ele pudesse fazer algo a respeito, eximindo-se completamente da responsabilidade.
Já com a expressão ‘de mi te has olvidado’ ele sugere que a ex-companheira não fez nenhum esforço para se lembrar dele, ou até mesmo se esforçou por esquecê-lo, responsabilizando-a assim pelo fato.

Resumindo, se disser a um falante nativo: ‘He olvidado completamente que teníamos uma cita hoy’ ele pode entender como falta de consideração da sua parte ou relaxo mesmo. Se disser ‘se me olvidó completamente que teníamos uma cita hoy’ ele pode entender que não foi culpa sua, afinal, todos estamos sujeitos a uma ou outra falha da memória.

¡Hasta!

Sobre o Autor: Luis Henrique é professor de espanhol e atua em projetos voluntários junto a comunidades de imigrantes ‘hispanohablantes’. É apaixonado pelo idioma e pela cultura dos países que falam espanhol.

Autor

Autor Convidado

Este artigo foi escrito por um Autor Convidado do Dicas de Espanhol. Confira o nome do autor no rodapé do texto acima. Seja um colaborador, clique aqui e saiba como participar.

6 comentários

  • 22/11/11  
    Paula diz: 1

    Que Maná, essa música é da boa e velha Chavela Vargas

  • 22/11/11  
    Luis Henrique diz: 2

    Me desculpe a ignorancia, é que só conheço (e por isso utilizo) a regravação do Maná.

    Aproveitando o comentário, há mais explicações e detalhes no livro:

    Molina Redondo, José A.: Usos de “se”. Cuestiones sintácticas y léxicas. Madrid: SGEL, 1990, p. 31-32

    Se acharem em alguma biblioteca ou sebo por aí vale a pena dar uma olhada, principalmente para quem quer dar uma melhorada na gramática.

  • 22/11/11  
    William de Andrade Magalhães diz: 3

    ¡Enhorabuena! por el blog es muy bueno. Bunas aclaraciones sobre el uso del pronombre se, él suscita muchas dudas en los alumnos, ¡y que lo digas!

    • 22/11/11  
      William de Andrade Magalhães diz:

      *buenas y no buenas, como se me había escrito.

  • 22/11/11  
    William de Andrade Magalhães diz: 4

    *bunas

  • 23/11/11  
    Luisa diz: 5

    Adorei o post! Já tinha notado que se usava o “se” diferente de português, mas não sabia muito bem o que era, e nem tinha me dado conta desse sentido :)

    Obrigada.